A mulher, a beleza e o mercado de trabalho

A mulher, a beleza e o mercado de trabalho

Rede de estética propõe reflexões sobre a empregabilidade da ala feminina

IPATINGA – Neste mês que se abriu com programações relativas ao Dia Internacional do Trabalhador, colaboradores da rede de estética Hamonir colocam em pauta questões relacionadas à participação das mulheres no mercado de trabalho, que é 20% inferior à dos homens. De acordo com a Fundação Getúlio Vargas, em 2021, 51,56% das mulheres estavam empregadas, enquanto que, entre os homens, esse índice foi de 71,64%.

Segundo o levantamento, o índice de desempregadas era de 16,45% em 2021, o que corresponde a mais de 7,5 milhões de mulheres. O índice médio anual de desemprego na economia totalizou 13,20% em 2021.

Um estudo desenvolvido pela Universidade do Estado de Michigan (EUA) focado na relação entre a beleza e o mundo corporativo assinala que pessoas consideradas bonitas têm mais chances no mercado de trabalho e na vida pessoal. O levantamento considerou outras características como gênero e idade. Esse é um dos fatores que leva cada vez mais homens e mulheres às clínicas de tratamento estético em busca de uma aparência melhor, mais saudável.

Os fundadores da Hamonir, afinados com seus parceiros e colaboradores, defendem a realização de procedimentos como algo que não deve estar atrelado à pressão do mercado de trabalho, da sociedade, mas que seja a expressão de amor próprio, da busca do cliente por se sentir bem, da liberdade de escolher mudar algo em si. “Os procedimentos estéticos não têm como intuito exclusivo potencializar a autoestima, mas revelar o autocuidado. Em meio à correria da vida, as mulheres vêm à clínica em busca de um acolhimento carinhoso, de amizade, de serem ouvidas, de renovarem o seu compromisso com amor-próprio, potencializar sua autoconfiança.

Na clínica, elas recebem esses cuidados”, observa a consultora de bem-estar e saúde, Solha Cristina Ribeiro, gestora da clínica Hamonir de Maringá (PR). Formada em Direito, Solha integra a parcela de trabalhadoras brasileiras que ajudam a movimentar a economia por meio dos serviços estéticos e driblar os desafios do mercado de trabalho. “Eu me encontrei nessa atividade. É imensurável a alegria que sinto por fazer parte dos processos de transformação das pessoas, ajudando a cada uma delas nessa trajetória de conquista de sua melhor versão. Entrego o melhor de mim ao meu trabalho, ao que chamo missão de vida, ajudar as pessoas a alcançarem o melhor delas, a se sentirem bem com os tratamentos e resultados que deixam em evidência sua beleza natural e o que querem destacar em si mesmas”.

A valorização da beleza natural é a tendência que vem ganhando cada vez mais adeptos. Com a pandemia, as pessoas passaram a se relacionar muito via internet, a trabalhar remotamente, a se reunir via online. Esse novo comportamento motivou as pessoas a estarem sempre com aspecto saudável, mesmo no ambiente doméstico, pela necessidade dos contatos profissionais nesse espaço e ainda influenciadas por celebridades que passaram a se expor com a cara lavada nas redes sociais, mostrar sua rotina de autocuidado, como foi o caso de Bruna Marquezine, segundo observam estudiosos do comportamento humano.

Após o período de isolamento social em função da pandemia, houve um aumento da busca por procedimentos que ajudam a rejuvenescer a pele, reduzir as marcas de expressão, eliminar o vinco conhecido como bigode chinês, melhorar o contorno labial, dar um ‘up’ na face e até prevenir o aparecimento de pequenas ruguinhas de forma mais natural com a aplicação do botox cada vez mais cedo.

A preocupação com a silhueta corporal também se manifesta na lista dos tratamentos mais requisitados, como o levanta bumbum, secagem de barriga, dentre outros. Com o aumento da procura pelos serviços de estética, os preços dos procedimentos têm sido reduzidos e mais formas de pagamento vêm sendo oferecidas aos clientes, a fim de democratizar o acesso aos procedimentos e potencializar a representatividade das mulheres que são o principal público da Hamonir, segundo os diretores do empreendimento, acrescentando que procedimentos de harmonização deixaram de elevar a autoestima apenas de famosos.

Na agenda de inclusão da Hamonir, está a valorização da diversidade de perfis, biótipos, faixa etária, diferentes vivências e da mulher real, que não se prende a um padrão estético, a algo limitante. “As pessoas precisam optar pelos procedimentos que os representem melhor e os ajudem a se reconhecer sem perder sua identidade. Cada escolha, cada decisão deve ser inspirada no que transmite os valores da pessoa, do que torna essa pessoa feliz e a motive a não se esconder, a não se isolar, a ficar à vontade transitando pelas mais diversas situações, seja no universo real ou virtual”.

Outra vantagem dos procedimentos estéticos, segundo enfatiza o grupo Hamonir, é que eles estão em constante evolução, podem ser feitos em consultório sem impactar a rotina dos clientes e a baixo custo.

FRANQUIAS

A busca pelos serviços de estética no Brasil levou o segmento de saúde, beleza e bem-estar a alcançar o terceiro maior resultado do franchising entre julho e setembro de 2021, atingindo R$ 47,3 bilhões e superando o desempenho do mesmo período de 2019 (R$ 47,2 bi), ante o baixo resultado de R$ 43,9 bilhões em 2020. A informação é da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Ao longo de 2021, o setor de franquias apresentou uma variação positiva de 8,4% da receita em relação a 2020, avançando de R$ 168,1 bilhões para R$ 182,3 bilhões.

A Hamonir é uma rede com nove clínicas em funcionamento distribuídas nos estados de Goiás, Minas Gerais, Paraná e São Paulo. Outras 30 unidades estão em fase de estruturação.

A biomédica franqueada, Nathalia Cristina Moreira Pereira, da Hamonir de Belo Horizonte (MG), sede da rede, reconhece que os procedimentos estéticos podem contribuir para o bem-estar. “Os tratamentos dão mais segurança às pessoas, o que reflete positivamente em sua atuação no trabalho e em todos os ambientes. Algumas clientes chegam a se emocionar com os resultados dos tratamentos.

Para mim, que realizo os procedimentos, a sensação é de quem está colaborando com a realização do sonho de outra pessoa. Tanto como paciente como franqueada da Hamonir, posso dizer que esse é o meu melhor investimento. Sei o quanto a estética é transformadora e está conectada ao comportamento humano, à psicologia”, finaliza Nathália, Biomédica, que também é mestre em medicina molecular, pós-graduada em Biomedicina Estética, especialista em análise clínicas e professora universitária. Nathália é também a coordenadora técnica de toda a rede de franquia Hamonir.

 

 

…………..

Legendas:

Nathália: “Sei o quanto a estética é transformadora e está conectada ao comportamento humano, à psicologia”

 

Solha destaca que “procedimentos estéticos são minimamente invasivos proporcionam grandes resultados e tendem a deixar em evidência a beleza natural das pessoas, o que querem destacar em si mesmas”

Deixe um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *